Publicado em 31/05/2010 por Bruna Cruz

Linhas de Pesquisa

pesquisa
Como um instituto de pesquisas situado no Nordeste brasileiro, região em que ainda se verifica um alto índice de adoecimento e morte por doenças infecciosas e parasitárias convivendo com doenças crônicas não transmissíveis, o Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães (CPqAM), a Fiocruz Pernambuco, dedica-se ao estudo de enfermidades como dengue, doença de Chagas, esquistossomose, filariose, leishmaniose, peste e tuberculose. Todas são doenças negligenciadas, chamadas assim por afetarem milhares de pessoas em todo o mundo, principalmente os países mais pobres, e com pouco apelo comercial para a indústria farmacêutica privada.

Para a Saúde Pública brasileira, a pesquisa voltada para o aprimoramento de métodos de diagnóstico e para o desenvolvimento e aprimoramento de vacinas contra essas enfermidades são ferramentas importantes para a melhoria da situação de saúde da população. Desta forma, a Fiocruz de Pernambuco vem realizando vigorosos estudos visando desenvolver formas mais rápidas e eficazes de diagnosticar a doença de Chagas, a esquistossomose, a filariose, a hantavirose, a leishmaniose, a peste e a tuberculose, entre outras enfermidades. O centro também está trabalhando no desenvolvimento de vacinas contra a dengue e a leishmaniose, além de tentar aperfeiçoar a vacina já existente contra a febre amarela.

O CPqAM também realiza trabalhos reconhecidos em outras áreas, desenvolvendo pesquisas relacionadas com malária e hanseníase, entre outros agravos. A instituição vem atuando no desenvolvimento de formas de controle de vetores, a exemplo do Aedes aegypti, transmissor da dengue, e do Culex quinquefasciatus, agente transmissor da filariose. Outra área em que o instituto tem investido é a da epidemiologia das doenças infecciosas, como a aids, e das doenças crônico-degenerativas, a exemplo da obesidade, do câncer, das doenças do aparelho circulatório e da diabetes, além de atuar nas áreas de políticas, gestão, planejamento, avaliação dos serviços de saúde pública, vigilância em saúde e saúde ambiental.

A instituição também tem tradição na realização de estudos nos campos da epidemiologia, planejamento, gestão e avaliação de serviços, políticas públicas, saúde ambiental e métodos quantitativos em saúde. Ao longo de sua trajetória, desenvolve atividades de ensino, capacitação e de cooperação técnica com instituições do Sistema Único de Saúde (SUS), visando contribuir para a sua consolidação e fortalecimento.

A integração permanente com os serviços, propicia a realização de reflexões críticas sobre os modelos de saúde implantados no Brasil e sobre as mudanças nos perfis epidemiológico, nutricional e demográfico da população, que ainda sofre com doenças infecto-parasitárias ao mesmo tempo em que é acometida por doenças da modernidade, a exemplo da obesidade, do diabetes, dos diversos tipos de câncer e das doenças cardio-pulmonares.

A Fiocruz Pernambuco realiza pesquisas na área de sistemas de informação de saúde, na perspectiva de que os dados analisados reflitam os problemas e desafios a serem enfrentados pelo poder público. Desenvolve trabalhos que avaliam políticas, programas e ações que articulam a saúde com as condições de vida, de ambiente e de trabalho. Também analisa a gestão municipal da saúde, identificando problemas relacionados à gestão do setor, aos recursos humanos, ao financiamento, às ações de vigilância, ao controle de endemias e à descentralização das ações de saúde.

Também trabalha com pesquisa e desenvolvimento tecnológico na área de bioestatística, analise de dados espaciais e temporais em saúde e sistemas de informação geográfica aplicados à saúde. Mais recentemente, o centro passou a se dedicar a estudos relacionados à saúde indígena ao fenômeno da violência em suas diferentes dimensões: acidentes de trânsito, contra a mulher, contra crianças e adolescentes e contra idosos.

Os trabalhos, que geram conhecimento científico com o objetivo de melhorar o funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS) brasileiro, são desenvolvidos dentro das seguintes linhas de pesquisa:
  • Biologia, Ecologia e tecnologias de monitoramento e controle de vetores de endemias
  • Desenvolvimento e validação de métodos diagnósticos e terapêuticos, aplicados à Saúde Pública
  • Estudos sobre epidemiologia e biologia das doenças endêmicas
  • Estudos dos determinantes relacionados ao espaço/ambiente, destinados à análise dos processos e controle de endemias
  • A Saúde das populações: epidemiologia, vigilância e controle de doenças agudas e crônicas e de agravos à saúde
  • Avaliação de sistemas, programas e serviços de saúde e ambiente
  • Estratégias de investigação em saúde, trabalho e ambiente
  • Informação em Saúde
  • Políticas, planejamento e gestão em saúde e ambiente
Conheça os projetos de pesquisa em andamento na instituição.

banner editais

banner inquerito arboviroses

instagram takipci hilesi paykasa bozum dizi izle kaçak bahis sitesi canli dizi izle dizi izle Milanobet TV Milanobet Giris Adresi istanbul escort porno izle