Publicado em 31/05/2010 por Bruna Cruz

Linhas de Pesquisa

pesquisa
Como um instituto de pesquisas situado no Nordeste brasileiro, região em que ainda se verifica um alto índice de adoecimento e morte por doenças infecciosas e parasitárias convivendo com doenças crônicas não transmissíveis, o Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães (CPqAM), a Fiocruz Pernambuco, dedica-se ao estudo de enfermidades como dengue, doença de Chagas, esquistossomose, filariose, leishmaniose, peste e tuberculose. Todas são doenças negligenciadas, chamadas assim por afetarem milhares de pessoas em todo o mundo, principalmente os países mais pobres, e com pouco apelo comercial para a indústria farmacêutica privada.

Para a Saúde Pública brasileira, a pesquisa voltada para o aprimoramento de métodos de diagnóstico e para o desenvolvimento e aprimoramento de vacinas contra essas enfermidades são ferramentas importantes para a melhoria da situação de saúde da população. Desta forma, a Fiocruz de Pernambuco vem realizando vigorosos estudos visando desenvolver formas mais rápidas e eficazes de diagnosticar a doença de Chagas, a esquistossomose, a filariose, a hantavirose, a leishmaniose, a peste e a tuberculose, entre outras enfermidades. O centro também está trabalhando no desenvolvimento de vacinas contra a dengue e a leishmaniose, além de tentar aperfeiçoar a vacina já existente contra a febre amarela.

O CPqAM também realiza trabalhos reconhecidos em outras áreas, desenvolvendo pesquisas relacionadas com malária e hanseníase, entre outros agravos. A instituição vem atuando no desenvolvimento de formas de controle de vetores, a exemplo do Aedes aegypti, transmissor da dengue, e do Culex quinquefasciatus, agente transmissor da filariose. Outra área em que o instituto tem investido é a da epidemiologia das doenças infecciosas, como a aids, e das doenças crônico-degenerativas, a exemplo da obesidade, do câncer, das doenças do aparelho circulatório e da diabetes, além de atuar nas áreas de políticas, gestão, planejamento, avaliação dos serviços de saúde pública, vigilância em saúde e saúde ambiental.

A instituição também tem tradição na realização de estudos nos campos da epidemiologia, planejamento, gestão e avaliação de serviços, políticas públicas, saúde ambiental e métodos quantitativos em saúde. Ao longo de sua trajetória, desenvolve atividades de ensino, capacitação e de cooperação técnica com instituições do Sistema Único de Saúde (SUS), visando contribuir para a sua consolidação e fortalecimento.

A integração permanente com os serviços, propicia a realização de reflexões críticas sobre os modelos de saúde implantados no Brasil e sobre as mudanças nos perfis epidemiológico, nutricional e demográfico da população, que ainda sofre com doenças infecto-parasitárias ao mesmo tempo em que é acometida por doenças da modernidade, a exemplo da obesidade, do diabetes, dos diversos tipos de câncer e das doenças cardio-pulmonares.

A Fiocruz Pernambuco realiza pesquisas na área de sistemas de informação de saúde, na perspectiva de que os dados analisados reflitam os problemas e desafios a serem enfrentados pelo poder público. Desenvolve trabalhos que avaliam políticas, programas e ações que articulam a saúde com as condições de vida, de ambiente e de trabalho. Também analisa a gestão municipal da saúde, identificando problemas relacionados à gestão do setor, aos recursos humanos, ao financiamento, às ações de vigilância, ao controle de endemias e à descentralização das ações de saúde.

Também trabalha com pesquisa e desenvolvimento tecnológico na área de bioestatística, analise de dados espaciais e temporais em saúde e sistemas de informação geográfica aplicados à saúde. Mais recentemente, o centro passou a se dedicar a estudos relacionados à saúde indígena ao fenômeno da violência em suas diferentes dimensões: acidentes de trânsito, contra a mulher, contra crianças e adolescentes e contra idosos.

Os trabalhos, que geram conhecimento científico com o objetivo de melhorar o funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS) brasileiro, são desenvolvidos dentro das seguintes linhas de pesquisa:
  • Biologia, Ecologia e tecnologias de monitoramento e controle de vetores de endemias
  • Desenvolvimento e validação de métodos diagnósticos e terapêuticos, aplicados à Saúde Pública
  • Estudos sobre epidemiologia e biologia das doenças endêmicas
  • Estudos dos determinantes relacionados ao espaço/ambiente, destinados à análise dos processos e controle de endemias
  • A Saúde das populações: epidemiologia, vigilância e controle de doenças agudas e crônicas e de agravos à saúde
  • Avaliação de sistemas, programas e serviços de saúde e ambiente
  • Estratégias de investigação em saúde, trabalho e ambiente
  • Informação em Saúde
  • Políticas, planejamento e gestão em saúde e ambiente
Conheça os projetos de pesquisa em andamento na instituição.

mariobetuyeol tüvtürk randevubu sitenin bonusunuda rulet oyunu kazanmasi

bahis

kadin iç giyim

YouJizz