Coleção de Yersinia spp.

A coleção de Yersinia spp. teve início em 1966 com o Plano Piloto de Peste em Exu (PPP), projeto patrocinado pelo governo brasileiro e pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que desenvolveu um amplo programa de pesquisas na Chapada do Araripe-PE de julho de 1966 a novembro de 1974. Nesse período, foram isoladas 661 cepas de Yersinia pestis de casos humanos e de roedores e pulgas A coleção foi transferida para o CPqAM em 1982 e, até 1997, recebeu novos isolados durante ações de vigilância e controle da peste em áreas focais, sendo incorporados os últimos espécimes obtidos no Brasil.

Atualmente a coleção é composta por mais de 980 cepas: a) Y. pestis - 917 brasileiras e 15 estrangeiras isoladas nos EUA, Peru, Vietnam, Iran, Java, Birmânia e fornecidas pelo Instituto Pasteur de Paris (IPP/França), Instituto Nacional de Saúde (INS/Peru), Centers for Disease Control and Prevention (CDC/EUA) e Universidade de Cleveland (EUA); b) Y. pseudotuberculosis – 5 do IPP/França; c) Y. enterocolitica – 5 do IPP/França, 20 do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/FIOCRUZ) e 20 do Serviço de Referência em Yersinia de Araraquara/SP.

O acervo é considerado considerado coleção de serviço, referência e pesquisa e está incorporado ao Serviço de Referência em Peste (SRP) do CPqAM, referência nacional para o Ministério da Saúde. As culturas são mantidas no Laboratório de Biossegurança Nível 3 (NB3) da instituição. A preservação desse patrimônio, único no Brasil e o maior da América do Sul, para estudos comparativos no futuro é de extrema relevância.

Curadoria

Alzira Maria Paiva de Almeida (curadora)

E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

Nilma Cintra Leal (curadora substituta)

E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

Mariobet nasil

bahis

hint filmi izlehep yek 2 izletüvtürk randevu